Tuesday, October 09, 2007

VIDA PERFEITA NÃO É MOLEZA NÃO

O verão acabou, e pronto, aqui não tem essa história de verão eterno, acaba e pronto, com data marcada e tudo, não adianta chorar nem lamentar, ou faz as malas e se manda pruma ilha no caribe, ou vai pegar uns resquícios de sol num balneariozinho aqui mesmo pela Grécia ou na Espanha, ou volta pro Rio baby, porque sim se pode falar em verão eterno. Agora frio de rachar, e não adianta se iludir com esse solzinho e sair de camiseta pra escrever nos jardins do castelo, que vai voltar pra casa todo congelado e sentar aqui confortavelmente tomando um cházinho e escrevendo no laptop vendo o céu azul pela janela do apartamento quentinho, calor agora é saudade, é distância, é nostalgia, é passado, e o verão passou tão rápido que quase ninguém viu, aliás o verão não passou, porque o verão não veio, e agora fica todo mundo lamentando que o verão foi fraco, e ninguém presta atenc,ão em como as árvores estão lindas com as folhas todas vermelhas e amarelas, mas talvez seja melhor assim, pelo menos para esses suecos masoquistas e sofredores, como sofre este povo, se o verão tivesse sido bom, sobre o que estaríam eles reclamando agora? Não teria assunto, melhor assim, ficam todos mais animados reclamando da vida pelas esquinas com seus casacos e luvas e gorros e cachecóis que acabaram de sair do ármario, comprados da colec,ão de inverno de não sei quantos anos átras, afinal inverno é tudo igual meu filho, frio e cinza, não importa, mas calma, ainda estamos no outono, que chegou com data marcada como disse, é tempo de reclamar do verão que foi uma merda, e se você não trabalhou feito um condenado como o espertinho do Hank faz a anos, pra economizar um dinheirinho e se mandar quando a coisa esfriar de verdade, vai amargar um inverno destruidor e alguns longos meses sem ver o sol nem o céu, não é mole não, ô povinho sofredor esse, e sofrimento aqui na Suécia é coisa séria, seríssima, com esse verão fuleiro desse ano então, não vai demorar muito pro povo comec,ar a se matar, e alguns deles vão matar a famíla inteira antes de estourar os miolos, é , sofrimento aqui não é de fome nem de falta de emprego, afinal você ganha salário até se estiver desempregado, também não tem violência nem niguém se agredindo por aí, no máximo umas quebradeiras de garrafas pelas ruas depois das duas da manhã quando tudo fecha e você é obrigado a voltar pra casa, afinal qualquer ser humano tem o direito de se revoltar com uma festa que acaba as duas da manhã, aqui também não tem desigualdade social, e qualquer faixineira pode ter sua lancha _que ficou estacionada esse verão_ e qualquer caixa de supermercado pode ter seu MG conversível e sua casa de verão na beira do lago e passar seis meses no Brasil coc,ando o saco, como é o caso do hank, então, porque sofre tanto esse povo meu Deus? Por que o índice de suicídio aumenta a cada ano, se tudo aqui funciona tão perfeitamente? Talvez aqui esteja a chave do mistério, o ser humano não foi feito para ser assim tão perfeito, é preciso permitir-se algumas intransigências e descontroles e loucuras pra que a engrenagem funcione, é preciso algum esforc,o pra que a coisa ande, alguns obstáculos pra que se valorize a conquista. Que merda é essa que eu estou escrevendo? Esforc,o? Obstáculo? Quero mais é catar meus morangos nos lindos campos silvestres de manhãzinha e reclamar das dores nas costas pro meu amor fazer uma massagenzinha gostosa quando eu chegar em casa, quero mais é trabalhar duas vezes por semana no supermercado e ganhar o dobro do que eu ganharia trabalhando o mês inteiro na Sendas no Brasil, mas sem esquecer de me sentir um pouco ridículo com aquele uniforme de mecânico de filme pornô, quero mais é pegar um avião quase de grac,a e passar uns dias batendo perna em Barcelona, mesmo que a coisa parec,a estar mais preta do que no Rio de Janeiro, com todo mundo sendo assaltado em todas as esquinas, viu, vida fácil é duríssima, e com esse verãozinho então. O buraco aqui é mais em cima, é o oco que se produz na mente, o vazio da ausência de sentimentos verdadeiros, aqui o que pega é o tédio, o praguimático, o cálculo, o artificial, o sistemático, é tudo tão friamente calculado, que qualquer desajuste parece o fim do mundo, e dá-lhe gente se jogando dos prédios, e tomando veneno, acendendo o gás, se jogando na frente do metrô, porque frio demais, e eles foram obrigados a ficar trancados dentro de casa com a família que eles odeiam, e agora todos estão olhando torto pra você, porque você não procura emprego desde que você quebrou o dedo a dois anos átras e vive as custas da pensão que o governo paga pra você não fazer nada, oh não, tem alguma coisa errada comigo, vou me matar, pow. A outra quer viajar mas não tem com quem deixar o cachorro que está muito velho, e fazem anos que ela está esperando o cachorro morrer, e agora é ela que quer morrer, pegou um acorda, amarrou no celeiro, era, ficou o cachorro moribundo lambendo os pés dela. O rapaz sensível, consegue se satisfazer no inferninho gay escuro em Amsterdã que ele visita regularmente, e a família tenta jogar qualquer loirinha vagabunda pra cima dele o tempo inteiro, ninguém entende porque ele prefere estar solteiro, e aquela moc,a tão linda e tão perfeita agora está interessadíssima, oh não, se jogou do oitavo andar, rapaz sensível não aguentou o frio. Por vai, eu, também tirei todos os meus acessórios do ármario, depois dessa última caminhada até o castelo de camiseta, tomei meu cházinho quente e vi o pôr-do-sol pela janela aquecido aqui escrevendo e agora vou acender todas as velas e preparar uma comidinha pro meu maridinho que vai chegar cansado e manhoso do trabalho no supermercado, e depois vamos assistir um filminho grudados comendo pipoca debaixo do hedredom, e fazer amor com a lua linda que está nascendo iluminando o jardim, bom, isso seria o ideal aqui nesta perfeita vidinha sueca, mas talvez eu continue aqui sentado sem fazer nada, e o hank chegue estressado e com fome e fique mais irritado ainda quando ver a louc,a toda suja, e talvez esteja passando um filme do Bergman desses bem deprê, e talvez meu querido amor queira dormir sozinho hoje, e eu resolva sair pra caminhar e congelar a alma com essa lua tão perfeita, e talvez eu me jogue nessas águas congeladas e saia nadando pra tentar chegar até o Rio, onde felizmente quase tudo está desordenado e absolutamente ninguém é perfeito, e o sol vai nascer rachando no arpoador de qualquer maneira, e pronto.




2 comments:

Larissa Marques said...

idade do orkut acabou? acabei de me filiar e estou convidando meus amigos, ok?

Larissa Marques said...

comunidade*